Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A vida é bonita.

A vida é bonita. É bonita, mesmo quando não a conseguimos ver assim.

A vida é bonita.

A vida é bonita. É bonita, mesmo quando não a conseguimos ver assim.

2017 o Ano em que não posso falhar comigo.

2017, para mim, só pode representar um ano de muita fé e esperança, o ano em que não posso falhar comigo. A vontade de lutar por mim é grande, e não há outra alternativa. Baixar os braços não faz parte das minhas características.


O caos existente, após uma longa e destruidora tempestade, deixou-me apenas com a força suficiente, que vai permitir reerguer-me com muita calma, muito devagarinho. E é assim que está a acontecer. Estou a aprender a respeitar-me (a ouvir o meu corpo).


Preciso alcançar o meu bem estar e sentir paz, para tal preciso cuidar de mim. E vou cuidar de mim como nunca o fiz. Vou tentar ser a prioridade da minha vida, o que para mim é difícil, mas estou disposta a iniciar esta caminhada.


O meu primeiro passo é voltar a cozinhar, obrigando-me a cumprir as principais refeições. Na cozinha sou preguiçosa e impaciente. Se puderem ajudar-me com algumas receitas simples e rápidas agradeço.
Eu adoro a comida tradicional, normalmente mais trabalhosa, mas gosto de igual modo de refeições simples sem muitos condimentos, que talvez seja o mais indicado para iniciar esta minha rotina.


Estou obrigada, por mim, a alimentar-me correctamente. Preciso fortalecer-me fisicamente. Quero sentir-me forte.

De muitos passos, é feita uma grande caminhada..
Eu estou a caminhar!

 

2016 "Trocou-me as Voltas"

O ano de 2016 não permitiu que eu cuidasse de mim, de acordo com as necessidades urgentes que o meu corpo e mente suplicavam. 2016 "trocou-me as voltas". No entanto, estar perante os meus limites, levou-me a ter uma maior consciência de mim e do meu corpo.

Em 2017 farei tudo o que estiver ao meu alcance para que, a "sociedade" me condicione o menos possível, não interferindo na minha essência. Estarei empenhada em cuidar de mim para alcançar o meu bem estar, sentir paz.

Conforme escrevi no Blog da Mula, comentando o seu post Resoluções para o novo ano (http://www.desabafosdamula.com/curtas-do-dia-499-343132) :

 

Meia dúzia de coisas que não quero para o próximo ano:
- Não quero andar numa correria diária, que me esgota física e psicologicamente;
- Não quero permitir que a maldade/inveja, de algumas pessoas, magoem o meu coração;
- Não quero deixar de comer chocolate. Porque não vivo sem esse prazer;
- Não quero que a "criança que habita em mim" se esconda;
- Não quero estar longe do mar;
- Não quero deixar-me para último lugar.

 

 Também gostaria dizer que não quero o Despertador na minha vida, mas este magano vai continuar a interferir no meu sono.  

Este será um plano para o ano em que eu deixar de ser dorminhoca. Ai...ai... nada melhor do que acordar naturalmente, e estar na ronha até estar preparada para sair do conforto da minha caminha.

 

2017 está à porta, e eu estou pronta para o deixar entrar.

Votos de um excelente Ano Novo para todos!

O meu Natal tem magia !!!

O meu Natal sempre foi mágico, nunca permiti que fosse diferente, só desta forma posso garantir que nunca perderá a sua magia. Eu disse mágico, e não perfeito. É possível haver magia num natal pobre ou num natal em que o coração chora? Sim, é possível. Podem acreditar em mim.

Contrariando a nossa vontade, a vida nem sempre permitiu que a nossa pequena família passasse o Natal juntos. Mas a vida também é generosa, e este ano vamos poder partilhar o nosso Natal. E eu vou estar perto, muito perto, coladinha à minha pequena família. Vou saborear todos os momentos. Aprendi que não vale a pena olhar para trás, só há tempo para viver e aproveitar o que a vida nos oferece hoje. Não podemos desperdiçar nem um pedacinho daquilo que temos. Amanhã tudo pode ser diferente. Nada é certo.

Esta Senhora não foi devidamente formatada. Coitada!!!

Fui até uma das portas do mundo, e expus a minha situação ao porteiro:

- Sr. Porteiro preciso que abra a porta para eu sair.

  Eu preciso parar. Eu sei que o mundo continua a girar, mas eu estou a sufocar. Tem de me deixar sair.

 

- Ora essa?! Precisa parar?!

  Não está atenta aos noticiários? Não sabe que a economia não permite paragens?

 

- Sim, eu sei que não. Mas eu preciso sair, estou doente, preciso parar, preciso saber quem sou eu neste momento.

  Ajude-me por favor! Eu voltarei a entrar.

 

- Hmmm... como estamos numa época natalícia está com sorte. Sim, porque eu já percebi que ocorreu um erro, a Senhora não foi devidamente formatada.

 Vá! A porta está aberta. Quando quiser voltar é só tocar à campainha.

Mas depois não se queixe, já sabe que o mundo penaliza este tipo de comportamentos.

 

- Obrigada! Terei de entrar e sair várias vezes, porque tenho de continuar a garantir algumas das minhas obrigações para com o mundo.

 

- Acho bem que cumpra o mínimo. E digo-lhe, desde já, que isto é uma excepção. É uma situação que não se pode prolongar por muito tempo.

 

Desci as escadas do mundo, e fui sentar-me numa pedra que estava mesmo em frente.

Desde então, venho com muita frequência sentar-me nesta pedra, para reflectir sobre mim e sobre o mundo que me pôs doente.

 

Ano de 2015 

Um mensageiro, veio ter comigo e atirou-me para os braços uma bomba, com a seguinte mensagem:

"Apesar desta bomba poder explodir a qualquer momento, tem o rastilho a arder e pode demorar uns meses até explodir." 

 

Os dedos de uma mão chegaram, e sobraram, para contar os meses até que a explosão acontecesse.

 

Ano de 2016 

Numa infeliz e inexplicável coincidência:

Um outro mensageiro, veio ter comigo e atirou-me para os braços uma bomba, com a seguinte mensagem:

"Apesar desta bomba poder explodir a qualquer momento, tem o rastilho a arder e pode demorar uns meses até explodir."

 

E mais uma vez, os dedos de uma mão chegaram, e sobraram, para contar os meses até que a explosão acontecesse.

 

Fiquei órfã. Eu sinto-me órfã..., o mundo ficou em silêncio.... Sim eu sei, que só as crianças ficam órfãos, mas é assim que me sinto.

Uma tristeza e uma dor inexplicável habita cada uma das minhas células. A minha vida é diferente...., eu mudei..., já não sou a mesma pessoa, há demasiadas equações na minha cabeça. Neste momento, preciso saber quem sou e o que quero para mim.

Precisei parar. E parei. Mas sou criticada: "é fraca"; "coitada"; etc.

Critiquem-me, penalizem-me...  Quando regressar, enfrentarei tudo o que tiver de enfrentar.

Não me interessa o que pensam "pessoas formatadas", pessoas vazias de si.

Um caderno novo?!

 

Gosto de passear no meio de corredores, com prateleiras recheadas de material escolar, mais precisamente recheadas de cadernos de todos os tipos. E escolher um caderno bonito para levar comigo.

 

Delicio-me sempre que abro um caderno novo e começo a escrever as primeiras palavras, é um momento mágico. Representa sempre o princípio de algo, um recomeço, uma nova fase, ou, muitas das vezes, apenas uma vontade que assim seja.

Escrevo para organizar pensamentos, para desabafar as minhas dores, para fazer planos. Algumas vezes fico simplesmente a fazer uns rabiscos/desenhos que a minha mão faz autonomamente, quase sem eu dar conta, enquanto a minha mente vagueia entre os seus pensamentos.

 

Hoje, começo este blog, não sinto a emoção das primeiras palavras escritas, na primeira de página de um caderno a estrear. Sinto alguma ansiedade e receio da exposição. O que escrevo nos meus cadernos é só meu, o que escrever aqui é de quem por cá passar.

 

Este blog não é o impulso de um momento. Não, não é. É algo que desejo concretizar há mais ou menos um ano, mas alguns "obstáculos" e imprevistos  impediram a sua existência mais cedo.

 

Há cerca de um ano, enfrentava um momento muito difícil de perda e comecei a passear por este mundo dos blogs, à procura de alguém que estivesse a passar pelo mesmo, de forma a perceber como os outros lidavam com uma das maiores dores da vida: a perda de uma das pessoas mais importantes da nossa vida, senão a mais importante. Alguém que amamos eternamente. Não encontrei o que procurava, mas para minha surpresa, eu que sempre vivi  afastada "deste mundo", encontrei alguns blogs que me distraiam e me traziam algum alento. Comecei a participar com os meus comentários e.... para meu espanto fui recebida com muito carinho. Ok, hoje percebo que tive muita sorte em ter parado no blog da minha querida Kikas.  Ela deu-me a atenção e o carinho que precisava, sendo simplemente  ela, delicada, carinhosa e muito sensível. Através do seu blog conheci outros blogs, do seu grupo de amigos, que igualmente me receberam atenciosamente e carinhosamente. E foi este grupo que me motivou a querer fazer parte deste "mundo dos blogs". Obrigada a todos os que me receberam carinhosamente.

 

A todos os que já me conhecem, muito obrigada de coração.

 

 

(Na próxima Quinta-feira passo por aqui, talvez antes se puder)

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D