Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A vida é bonita.

A vida é bonita. É bonita, mesmo quando não a conseguimos ver assim.

A vida é bonita.

A vida é bonita. É bonita, mesmo quando não a conseguimos ver assim.

Quero apaixonar-me. Eu e a paixão...

Há pessoas que se apaixonam facilmente, outras há que têm uma enorme dificuldade em sentir tal encantamento, tendo ao longo das suas vidas apenas duas ou três paixões. Qual será a razão desta diferença!?


Eu, pertenço ao segundo grupo, dificilmente me apaixono. E tenho, por diversas vezes, questionado qual a razão de isso acontecer, ou melhor não acontecer? Sendo que a minha minha conclusão é sempre a mesma: sou demasiado exigente comigo e consequentemente com os outros, logo dificilmente um homem desperta em mim o sentimento da paixão. Contribuirá também o facto de não me identificar com contexto socio-cultural no qual estou inserida no meu dia a dia.


Não me identifico, minimamente, com a sociedade materialista, nem com pessoas que vivem do maldizer constante com base na inveja e mania de superioridade. Os seus interesses diferem em larga escala dos meus. No seio da minha pequena famíllia e no meu grupo muito restrito de amizades, partilhamos uma forma de estar que assenta na simplicidade, na humildade, no respeito, na união e solidariedade. E faz parte de nós uma necessidade constante de crescimento pessoal.

 

Estou a ser dermasiado crítica, eu sei, pois todos nós temos o direito de viver a vida como bem etendemos (ou como nos permitem vivê-la), e na realidade quem sou eu para questionar os outros? Ninguém!!

Mas será que, temos todos a consciência de que fazemos parte de um círculo vicioso, gerido minuciosamente por quem tem o verdadeiro poder? Que servimos unicamente os interesses dos Poderosos senhores deste nosso Planeta? Que vivemos numa ilusão, a ilusão que nos impingem!?

 

Não estou imune a  esse poder que manipula as nossas vidas, é impossível estar, mas faço um esforço para estar atenta. Felizmente, de vez em quando, vou descobrindo pessoas que tal como eu, têm de se adaptar à sociedade da qual fazem parte, e que por debaixo da sua capa de sobrevivência em sociedade, escondem o seu verdadeiro eu.

 

De regresso à questão inicial, após uma nova reflexão sobre o meu Eu e a paixão, acho que descobri mais uma pista: para eu me apaixonar preciso sentir uma grande admiração por esse homem. E admiro homens que vivem a vida de forma intensa, apaixonada, com toda a alegria adjacente e que partilham dos mesmos valores que eu. Não anda nenhum por perto, mas também se pode dar o caso de "andar cega", quem sabe?

 

Certo, certo é que tenho saudades de me apaixonar. O facto de ser uma pessoa muito exigente, não ajuda em nada, isso eu já percebi, mas  mudar também não faz parte dos meus planos. Dito isto, terei de conformar-me e esperar que a vida me surpreenda. Mas vou esperar sentada, pois é possível já ter tido todas as paixões que a vida tinha disponíveis para me oferecer.

No entanto, sendo o futuro uma incógnita, há que ter esperança!

 

Isto é difícil! Não tenho ilusões.


Ontem, portei-me bem!  (Pareço uma criança.) E hoje já acordei mais satisfeita comigo.

Não fiz muito, mas fiz aquilo que as minhas forças permitiram. Claro que, eu quero fazer sempre mais e mais, e lá no fundo fica sempre um sentimento de frustração. Não, não é lá no fundo é mesmo à superfície.


É imperativo ter consciência dos meus limites actuais, e adaptar as minhas acções a esses limites, mas não é fácil. Nada fácil!


Quando o comboio descarrila, não é fácil voltar a colocá-lo nos carris. E eu tenho consciência que ainda vou sair muitas vezes dos carris até conseguir manter o equilíbrio. Neste momento, o importante é lutar para me manter o maior tempo possível no sítio certo. E sempre que sair voltar rapidamente a colocar-me na linha.


Há uma frase constante, no meu pensamento: Eu vou conseguir! Eu vou conseguir! Acredito seriamente que sim, mas não escondo que simultaneamente “as minhas pernas tremem.”


Tentando encontrar as palavras que melhor descrevam o meu sentimento... lá vai mais uma metáfora. Novembro e as suas metáforas!
Sinto-me como se estivesse em cima de um touro mecânico a lutar para não cair. Sem nunca desistir.
Questiono-me com alguma frequência, se serei só eu a sentir estas parvoíces. Por vezes acho sim, outras não.

 

Um Bom Domingo!

Amanhã, vou acordar melhor. Alguém duvida? Eu não.

Se ontem já não estava satisfeita comigo. Hoje, então, acordei furiosa, o que em mim é perfeitamente normal, ou seja, quando não me deito bem disposta, no dia seguinte ainda acordo pior.


E porquê? Porquê? Porquê?


Porque esta primeira semana, não correu conforme o planeado. E quem é o(a) culpado(a)? EU, só eu!!!! Que em vez de me disciplinar de acordo com os meus objectivos, deixei-me andar ao sabor do vento. Claro que o resultado final não podia ser positivo.


Não é novidade, que emocionalmente estou numa fase péssima. Mas também é verdade que tenho sempre presente que, tenho de, e estou a caminhar pelo trilho certo. Só que os passinhos desta semana foram demasiado espaçados e pequenos demais.

 

A minha grande falha foi não ter disponibilizado tempo para uma reflexão diária, que me traz paz e me direcciona para os meus objectivos.


Custa-me ter falhado comigo, mas mais ainda não ter conseguido contribuir com a minha ajuda, para tornar o dia a dia, de um dos meus amores, mais fácil.


É incrível, magoa-me mais não ajudar quem amo, do que não me ajudar a mim. Mesmo sabendo que é um erro. Porque se conseguir ajudar-me em primeiro lugar, conseguirei mais facilmente o meu equilíbrio e mais fácil será ajudar os outros. Mas esta continua a ser uma das minhas lutas, colocar-me em 1º lugar.


Bem! Chega de lamúrias. Vou desligar o PC e “pôr mãos à obra”. Tenho muito que fazer, tenho consciência de que não vou fazer tudo, mas farei o mais possível. E amanhã vou acordar melhor. Dúvidas?! Eu não tenho!


Um Bom fim-de-semana! 

Vou comer peixe cozido até me crescerem escamas?!?!

O meu último post aconteceu há muuuuito tempo... p'ra aí no ano passado.

Entretanto, eu devo estar quase a transformar-me numa sereia, por comer tanto peixe cozido com batatas e legumes.

 

Ora, então passo a esclarecer: O meu primeiro objectivo deste novo ano é fortalecer-me fisicamente, e para isso tenho de cumprir religiosamente duas das principais refeições (almoço e Jantar), alimentando-me correctamente. Isto porque, aqui a menina, com todos os problemas que tem vivido, há já tempo demais que descurou a alimentação, o que se traduziu numa fraqueza física.

Pois bem! Humildemente  pedi no meu último post a vossa ajuda:

Quero "...... voltar a cozinhar... na cozinha sou preguiçosa e impaciente. Se puderem ajudar-me com algumas receitas simples e rápidas agradeço. Eu adoro a comida tradicional, normalmente mais trabalhosa, mas gosto de igual modo de refeições simples sem muitos condimentos, que talvez seja o mais indicado para iniciar esta minha rotina."

 

Só a minha querida  Chic'Ana foi solidária comigo. Mas como eu não sou de desistir, vou continuar a pedinchar para que partilhem comigo, a vossa receita mais simples/rápida mas muito nutritiva.

Desta vez vou nomear alguns voluntários (à força). E os voluntários são:

Vamos ver se consigo pelo menos meia dúzia de receitas. Há que ter esperança!

Pág. 2/2

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D