Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A vida é bonita.

A vida é bonita. É bonita, mesmo quando não a conseguimos ver assim.

A vida é bonita.

A vida é bonita. É bonita, mesmo quando não a conseguimos ver assim.

Isto é difícil! Não tenho ilusões.


Ontem, portei-me bem!  (Pareço uma criança.) E hoje já acordei mais satisfeita comigo.

Não fiz muito, mas fiz aquilo que as minhas forças permitiram. Claro que, eu quero fazer sempre mais e mais, e lá no fundo fica sempre um sentimento de frustração. Não, não é lá no fundo é mesmo à superfície.


É imperativo ter consciência dos meus limites actuais, e adaptar as minhas acções a esses limites, mas não é fácil. Nada fácil!


Quando o comboio descarrila, não é fácil voltar a colocá-lo nos carris. E eu tenho consciência que ainda vou sair muitas vezes dos carris até conseguir manter o equilíbrio. Neste momento, o importante é lutar para me manter o maior tempo possível no sítio certo. E sempre que sair voltar rapidamente a colocar-me na linha.


Há uma frase constante, no meu pensamento: Eu vou conseguir! Eu vou conseguir! Acredito seriamente que sim, mas não escondo que simultaneamente “as minhas pernas tremem.”


Tentando encontrar as palavras que melhor descrevam o meu sentimento... lá vai mais uma metáfora. Novembro e as suas metáforas!
Sinto-me como se estivesse em cima de um touro mecânico a lutar para não cair. Sem nunca desistir.
Questiono-me com alguma frequência, se serei só eu a sentir estas parvoíces. Por vezes acho sim, outras não.

 

Um Bom Domingo!

16 comentários

Comentar post